Pest Guides

Víbora assopradora

Bitis arietans

Localização geográfica

Víbora-assopradora (imagem)
  • É provavelmente a cobra mais comum em África, encontrando-se em todo o continente à excepção dos desertos e das zonas de floresta mais densa.

Aspecto

  • Duas enormes presas de veneno fixas na parte da frente do maxilar superior.
  • Dentes sólidos em ambos os maxilares.
  • O tamanho médio é de 1 m, mas são muito largas. Já foram vistos espécimes com mais de 40 cm de largura.
  • Cabeça embotada e arredondada, muito mais larga do que o pescoço e o corpo, com forma quase triangular.
  • Costuma ter duas presas no maxilar e ambas podem ser funcionais.
  • As cores variam consoante a localização geográfica, mas a cabeça costuma ter duas bandas escuras: uma na coroa e outra entre os olhos.
  • A cor varia entre amarelo-pálido, castanho-claro, cor-de-laranja e castanho-avermelhado. Os machos podem ter padrões amarelos e dourados muito vivos.
  • Possui marcas em forma de V ao longo de todo o corpo, que vão ficando mais claras também ao longo do corpo.
  • As íris dos olhos variam entre o dourado e o cinzento-prateado.
  • A parte inferior é amarela ou branca, com algumas manchas mais escuras.

Veneno

  • Extremamente venenosas e um das mais tóxicas. Citotóxico (mata as células) e neurotóxico (ataca o sistema nervoso central da vítima).

Mordedura

  • Duas feridas - marcas dos dentes – e é muito dolorosa.
  • Desenvolve inchaço no período de 10 a 30 minutos.

Ciclo de vida

  • As fêmeas produzem uma feromona que atrai os machos.
  • Parem grandes quantidades de crias. A média anda entre 50 e 60 de cada vez.
  • As crias recém-nascidas medem entre 12 e 18 cm de comprimento.
  • As recém-nascidas têm marcas douradas na cabeça.

Hábitos

  • Dado que são uma espécie lenta e que necessita de camuflagem para protecção, costumam preferir as pradarias rochosas.
  • São principalmente terrestres, mas também boas nadadoras e trepadoras.
  • Encontram-se muitas vezes a apanhar sol em caminhos e costumam ficar estáticas na presença de intrusos.
  • Estão sempre prontas para morder e conseguem atacar com grande rapidez vítimas que estejam à distância de um terço do seu comprimento.
  • Maioritariamente nocturnas.
  • Não gostam de procurar e caçar alimento. Preferem montar emboscadas e esperar que as vítimas passem por lá.
  • A dieta consiste de mamíferos, aves, lagartos e anfíbios.